Beato José de Anchieta

Veio ao Brasil em 1553, enfrentando as dificuldades do início da colonização junto com seus companheiros jesuítas. Na sua morte foi aclamado como o Taumaturgo e Apóstolo do Brasil!...


Cadastre-se e receba nosso informativo:
E-mail: Cadastrar | Remover
Canais
Principal
COMECE AQUI !
Patrocinadores
Santos
ELENCO GERAL
Beato Inácio e Com.
São Roque e Com.
São José de Anchieta
Santa Paulina
Santo Antônio Galvão
Santos Mártires RN
Beato Eustáquio
Beato Mariano
Beata Albertina
Beatos Manuel e Adílio
Beata Lindalva
Beata Bárbara Maix
Santa Dulce dos Pobres
Beata Nhá Chica
Beata Assunta Marchetti
Beato Pe. Victor
Beato João Schiavo
Beato Donizetti
Beata Benigna Silva
Ven. Teodora Voiron
Ven. Antonieta Farani
Ven. Rodolfo Komorek
Ven. Attilio Giordani
Ven. Ir. Serafina
Ven. Me. Ma. Teresa
Ven. Dom Viçoso
Ven. Marcello Candia
Ven. Pelágio Sauter
Ven. José Marchetti
Ven. Daniel de Samarate
Ven. Frei Damião
Ven. Nelsinho Santana
Ven. Frei Salvador Pinzetta
Outras Biografias
Temas
Papa Bento XVI
Santos do Brasil
Processos de Canonização
Beatificação e Canonização
Comunhão dos Santos
 
E-mail:
Senha:
 
» Santos do Brasil » Beato Frei Galvão » Livro » Testemunhos
 
12/11/2003 - 11:35 - TESTEMUNHOS

Entre tantos testemunhos, transcrevemos inicialmente alguns testemunhos que estão no livro "NOVENA COM AS PÍLULAS DO BEATO FREI GALVÃO". Que estes testemunhos sejam ocasião para o nosso louvor e agradecimento a Deus, pela sua bondade infinita.

Hercília Salvador
"Meu filho que não ia mais a missa e tinha se afastado da
religião, por intermédio de Frei Galvão voltou a ser católico
praticante e participa de encontro de casais. Minha nora
estava para se separar duas vezes do marido. Implorei a Frei
Galvão pela união conjugal dos dois e fui atendida".

Cel.Or.279-5  jan96

José Braguim -  Jaboticabal, SP 2003
"É com muito prazer e alegria , que escrevo para dar meu
testemunho de uma grande graça alcançada, através das pílulas
devocionais do Beato Frei Antônio de Sant'Anna Galvão.
Tenho hoje 59 anos, mas quando tinha aproximadamente trinta
anos, senti pela primeira vez, uma forte cólica de rins...o
tempo foi passando e mais ou menos a cada três ou quatro anos
sentia novamente aquelas cólicas doloridas, todas iguais, e
novas urografias excretoras, novas internações e várias
pedras (cálculos) expelidos (sic)....Até que em meados de
1998, as cólicas e as dores renais passaram a ser mais
frequentes, obrigando-me a frequantar os consultórios médicos
e os hospitais, praticamente de três em três meses, chegando
nos anos de 2000 e 2001 a serem mensalmente... já não
conseguia mais trabalhar, as dores eram tantas e tão fortes
que estavam me levando à loucura. Então começaram as
cirurgias...só tomando morfina é que as dores paravam
temporariamente...(A quarta cirurgia foi para retirada da
vesícula).
Não tinha mais vontade de viver, minha qualidade de vida era
zero, só pensava em morrer.Cheguei mesmo em pensar  até no
suicídio, tamanho era o meu desespero...
Surge então nesse momento a luz de Deus, através da minha
esposa, mulher de fé onipotente...conheceu uma
senhora,...residente em São Paulo, que lhe deu uma oração do
então Bem-aventurado hoje Santo José Maria Escrivá. Passou
então minha esposa a partir desse momento, a orar e pedir
graças por mim e pela minha cura a Deus, por intercessão e
merecimento do Bem-aventurado.
Disse-me minha esposa, que no dia 12 de junho de 2002 ouviu
um chamado pela TV Rede Vida, que naquele dia às 15:00 hrs
(sic) seria celebrada a missa dos Estigmatinos. Ficou em
aflição durante horas para assistí-la e não entendia o
porque. Porém, quando começou a missa, sentiu um forte sono,
vindo a adormecer, acordando num relance, muito confusa no
meio do evangelho, ouvindo duas vozes: Uma do padre
comentando o evangelho, e outra ressoando muito forte no seu
ouvido esquerdo, que dizia: "-- Filha, diga ao B. para tomar
as pílulas do Frei Galvão". Ela então repentinamente abaixou
o volume da televisão ao último, e a voz repetiu por mais
duas veses o mesmo - "Filha, diga ao B. para tomar as pílulas
do Frei Galvão". Acreditando neste momento de muita fé, que
era a voz divina de Deus, através do então Bem-aventurado
José Maria Escrivá.
Chegando de uma de minhas inúmeras internações no pronto
socorro do Hospital São Marcos, ouvi de minha esposa aquela
estranha narrativa, e a indicação que eu fosse até o Mosteiro
da Luz, em São Paulo e solicitasse das Irmãs Monjas 
Concepcionistas, as pílulas de Frei Galvão....Ela insistia e
eu não atendia. Ela tomou então a iniciativa, ligou para as
Monjas do Mosteiro da Luz e foi por elas gentilmente e
prontamente atendida...Novamente, não dei tanta importância e
durante uns três ou quatro dias , o envelope com as pílulas
ficaram no móvel da sala, sem eu tocar. No início de uma
noite, sentindo muita dor, porque a bexiga estava quase
estourando, pois uma enorme pedra estava impedindo a saída da
urina pela uretra, no desespero, peguei o envelope com as
pílulas, e ao ler as instruções ali contidas, ver a figura de
Frei Galvão, ler sua resumida biografia e a novena da
Santíssima Trindade, tomei a primeira pílula, e comecei a
rezar a novena, seguindo as instruções.
Fiz isto por duas vezes e tomava diariamente as pílulas com
muita fé, aí começou um verdadeiro milagre, sem sentir
nenhuma dor, nem mesmo cólicas, a não ser uma forte pressão
ocasionada pela urina retida, fora saindo, pelo canal da
uretra, repito, sem nenhuma dor, enormes pedras,
alternadamente uma atrás da outra. Eu, os médicos, e minha 
esposa não conseguíamos acreditar que aquilo fosse possível.
Mas Deus por intercessão do Santo José Maria Escrivá e do
Beato Frei Galvão, estavam operando e realizando este
milagre, concedendo-me esta enorme e inexplicável graça da
cura.
Hoje, passado quase oito meses do fato, não sinto mais
nenhuma dor nos rins, não tive nenhuma cólica, não expeli
nenhuma pedra, portanto, posso dizer e afirmar que sinto-me
curado...
José  Braguim,
Jaboticabal 20 de janeiro de 2003"
(testemunho cedido pelo Mosteiro à autora)

Alice Rodrigues da Silva
"Meu genro separou-se da mulher por motivo de estar com
outra. Por intermédio de Frei Galvão alcancei a graça dele
voltar  à família e à fidelidade conjugal".
Cel.Or.279-6  jan96

Leila Lopes Nogueira
"Alcancei a graça de voltar à paz e amizade com minhas amigas
após um sério mal entendido"
Cel.Or.279-6  jan96

Paulo de Moraes
"Minha filha que a dois anos não conversava comigo se
reconciliou. Estou muito agradecido a Frei Galvão".
Cel.Or.280-4  abril96

Bella R. Nahas
"Senhora Joana Gussi, mãe do Pe. Joaquim, com câncer no
intestino sentia dores insuportáveis. Rezei a Frei Galvão,
pedindo seu alívio dando-lhe as pílulas e impondo-lhe as
mãos. Desde então, cessaram as dores sentindo-se aliviada até
a morte. Eu, com úlcera nervosa depois de vários tratamentos
sem êxito, também apelei a Frei Galvão e obtive a cura" .
Cel.Or.280-4   abril96

Lúcia Regina Paiva
"Aos 36 anos tive uma displasia mamária tendo que extrair o
seio. Após três anos tive fortes dores na cabeça; feito o
eletroencefalograma, acusou um tumor no lado esquerdo do
cérebro. Antes de me submeter à tomografia, intercedi a Frei
Galvão fazendo a novena e tomando as pílulas. Qual não foi a
surpresa, o resultado deu negativo e não tenho mais dores de
cabeça".
Cel.Or.280-4  abril96

José Roberto e Roselene Aparecida Cham
"Estávamos há 4 anos tentando ter um filho. Tivemos 2
abortos. Na terceira gravidez apelamos ardentemente a Frei
Galvão fazendo uso da novena e pílulas, e rezamos diariamente
a oração pela sua beatificação durante toda a gravidez. No
dia 15de fevereiro de 1996 ocorreu o nascimento do nosso
filho Maurício Antônio (Antônio em homenagem a Frei Galvão).
Um menino forte e cheio de saúde. Estamos muito felizes a
agradecidos a Deus e a Frei Galvão".
Cel.Or.280-5  abril96

Inês Bernadete Marchi
"Minha irmã estava para dar à luz e a criança não nascia
porque estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço. O
sofrimento da mãe era grande. Suplicando a Frei Galvão, ela
passou a melhorar e em 10 minutos deu à luz tendo parto
normal sem complicações com a criança".
Cel.Or.280-5  abril96   20

Carla Galhardi
"Minha filha nasceu com cardiopatia devendo após 15 dias se
submeter à cirurgia. Dei a ela as pílulas de Frei Galvão e ao
retornar à reavaliação para a cirurgia, os exames deram todos
normais, não necessitando mais da mesma".
Cel.Or.281-5   jul96

Mary Ortiz Monteiro
"Com 76 anos sofrendo de efizema pulmonar só respirava com o
auxílio de oxigênio. Com a oração a Frei Galvão e pílulas
milagrosas alcancei a cura. Hoje respiro normalmente como
quando tinha 20 anos"
Cel.Or.281-3  julho96

Silene Farias
"Agradeço por ficar livre de uma angústia muito grande por
ver meu marido liberado de um processo trabalhista"
Cel.Or.281-6  julho96

Odete Maria Ambrósio
"Meu neto de 3 anos foi atropelado e sofreu traumatismo
craniano, sendo transportado para a UTI do hospital Frei
Galvão em Guaratinguetá. Estava em coma, com os ossos da
mandíbula partidos além do traumatismo craniano e uma fissura
na altura da nuca. Tinha um sangramento no ouvido e precisava
ser operado, devendo aguardar alguns dias. Nesse ínterim,
rezei com muita fé a Frei Galvão, pedindo que fosse evitado a
cirurgia. Bem, na 1ª tomografia, os ossos estavam fraturados.
Na véspera da cirurgia, a 2ª tomografia não acusou mais
fraturas, não necessitando mais da mesma. Logo teve alta da
UTI. O menino hoje está perfeito."
Novamente Odete escreveu ao mosteiro meses depois:
"Meu marido voltou de uma pescaria no mar com uma estranha
doença na pele. Quanto mais tratava pior ficava. Não comia
nem dormia com as dores. Começamos a fazer juntos a novena a
Frei Galvão. Dia seguinte começou a
melhorar e sarou por completo".
Primeiro testemunho: Cel.Or.280-3 abril96; segundo
testemunho: Cel.Or.281-4 julho 96

Neide Gaudenci de  Sá
"Minha querida mãe - Anna Silviano Gaudenci ( Anita) - foi,
tenho certeza, uma das mais fiéis devotas de Frei Antônio
(como ela chamava). Desde sua meninice, aprendeu com sua avó -
 a Nana - a pedir proteção e graças ao Frei Galvão com total
confiança em sua santidade. Levou a essa devoção toda a
família. Não houve mulher conhecida que desse a luz sem o
conforto das pílulas que mamãe ia buscar no Mosteiro. Não
houve qualquer problema de saúde, qualquer dificuldade ou
alegria que não contasse com preces dela ao seu santinho. Sua
despedida era sempre: -"Frei Antônio que te acompanhe".
Com 88 anos de idade mamãe se foi. De manhã, acendeu a
lamparina como fazia todo dia 23 e à noite, certamente, o
próprio Frei Antônio levou-a para seu descanso. No céu, reza
por todos nós."
(Lembramos que dia 23 é o dia de Frei Galvão)
Cel.Or.281-6   julho96

Maria Aparecida Barboza Feliciano -  São Paulo  SP
"Com 90 anos de idade, estava com  dificuldade para
movimentar meus braços e pernas, e por isso já não tomava
mais banho sozinha. Tomei as pílulas de Frei Galvão, rezando
com fé, para que me ajudasse a ficar mais forte e recuperasse
meus movimentos. A mudança foi muito grande. Fiquei mais ágil
e esperta, e até perdi o medo de tomar banho sozinha. Não
preciso mais de ajuda para o meu banho. Enxugo-me sozinha, e,
mesmo de pé, levanto um dos pés do chão para passar a toalha
entre os dedos do pé!"
(testemunho relatado à autora, em novembro de 2002)

H.B.B.S.   -  Petrópolis,RJ    
"Meu nome é H.B.B.S., tenho 55 anos, sou médico Cardiologista
e em 17 de outubro de 2002 fui acometido em minha casa, de
fortíssima dor toráxica enquanto dormia. Acordei com a
percepção de que estava ocorrendo um episódio agudo de doença
cardiovascular .... (Assumi) o risco pessoal de sair
dirigindo meu próprio carro até o Hospital Santa Teresa....
(Nesse hospital) tenho atividade médica
regular...Diagnóstico: Aneurisma Dissecante da Aorta
Ascendente, com indicação de cirurgia cardiovascular de
emergência.
(Tendo sido removido para São Paulo em transporte aero-
médico, minha esposa e minha filha) tiveram a companhia da
Dra. Denise que mostrou estar em poder de uma relíquia do
Frei Antônio de Sant'Anna Galvão, que recebera de sua tia a
cerca de cinco anos e que nunca havia retirado da gaveta de
sua mesinha de cabeceira.
Nesse dia, inexplicavelmente, Denise colocara a relíquia em
sua bolsa antes de viajar. Minha filha pediupara segurar a
relíquia de Frei Galvão durante as oito horas da cirurgia,
que se encerrou às quatro horas da manhã do 18 de outrubro,
dia dos Médicos, cujo padroeiro é São Lucas, data que
considerei como minha segunda data natalícia.
....Recuperei-me completamente da anestesia e do resfriamento
corpóreo e, principalmente, cerebral....passando a conversar
normalmente, já no dia 19....
(Ao receber alta) fiz questão de visitar o Mosteiro da Luz...
(para) orar junto ao túmulo de Frei Galvão, e na clausura ser
recebido pela Irmã Cecília e pela Irmã Cláudia, que me
orientaram como formalizar minha intenção de relatar a graça
recebida...
                    
H.B.B.S  Petrópolis, 14 de janeiro de 2003"
(testemunho cedido pelo Mosteiro à autora)

Inserida por: Administrador fonte:  Santos do Brasil
   
envie para um amigo
voltar  

 



 
 
 
Elaboramos esse site
com o objetivo de divulgar nossos santos.
 
 

Hospedagem e
Desenvolvimento